• Alexandre Wunderlich

O que fazer para evitar um tombo de moto

Atualizado: 16 de mai.





Tombos de motos são inevitáveis? Muita gente imagina que motos e tombos são palavras iguais escritas com letras diferentes. Pensar desta forma é errado, pois há muitas maneiras de evitar um tombo de moto. A primeira regra é óbvia, ser prudente! Abolir riscos desnecessários é apenas uma parte da estratégia, outra é aprender a identificar e evitar os tais riscos.

Motociclistas experientes sabem que ao guidão de uma moto não dá para vacilar, é preciso ter 100% de concentração 100% do tempo, ou o mais perto disso que for possível. Uma parte importante da política “zero tombo” é ter consciência das limitações, suas e da moto.

Habilidade é importante para evitar acidentes, mas mais importante que isso é nunca exagerar. É preciso ser humilde, aceitar que ninguém nasce sabendo, e que quanto mais experiência você tiver ao comando de uma moto, mais preparado estará para evitar um tombo. Está dado o recado aos iniciantes...

É também fundamental ter na mente que sua segurança depende não apenas de você mesmo, e que boa parcela também cabe aos outros, sejam eles pedestres ou outros motociclistas e motoristas.

Diante disso, seguem algumas dicas para evitar tombos de moto.

  1. Atenção ao piso: boa parte dos tombos acontecem em baixa velocidade. Por estar devagarinho deixamos de prestar atenção no piso, e aí acontecem as derrapadas imprevistas no pedrisco, areia ou naquele chão molhado do posto de combustíveis ou mesmo da garagem. Outros vilões são os buracos e lombadas, que sempre devem ser encarados em baixa velocidade. Importante é resistir ao vício de driblar a lombada passando na frestinha entre ela e o meio-fio, onde quase sempre tem sujeira o que muitas vezes leva ao desequilíbrio e ao tombo de moto.

  2. Evite excessos: o de velocidade é o primeiro deles, mas também evite excesso de peso no bagageiro, o que torna a moto muito instável. Outro excesso a evitar é o de malabarismos, seja ele a empinada ou outras manobras como o RL, para levantar a traseira da moto freando forte. Deixe isso para os pilotos profissionais.

  3. Calçado certo: pilotar de chinelo? Nem pensar, pois o controle do câmbio e do freio traseiro fica prejudicado. Preste atenção também no comprimento do cadarço de seu calçado, pois é muito comum ele enroscar na pedaleira ou nos comandos de câmbio e freio, prendendo seu pé justo na hora em que você precisará apoiá-lo no chão. Tombo parado que ninguém merece...

  4. Cuide dos outros: ao andar no trânsito você deve ter uma atitude cuidadosa não só para você como também em relação aos outros. Isso, na prática, significa que pilotar uma moto exige uma atenção extrema com tudo aquilo que acontece à sua volta. Viu um pedestre na beira da calçada? Reduza a velocidade, pois ele pode estar prestes a atravessar a rua. Está andando atrás de um carro ou caminhão? Busque um posicionamento no qual o motorista veja você pelo retrovisor. Viu um carro ou uma moto chegando rápido pelo retrovisor? Dê passagem!

  5. Calma e antecipação: quanto mais calmamente você pilotar – isso significa evitar ziguezaguear, frear e acelerar bruscamente – menos chance você terá de tomar um tombo. Outro aspecto é aprender a identificar riscos, antecipando reações, como por exemplo ter o saudável hábito de sempre reduzir a velocidade ao passar em cruzamentos, mesmo que o sinal esteja aberto para você ou a preferencial seja sua.

E mais: manutenção da moto em dia evita tombo assim como equipamentos de segurança de qualidade diminuem os danos quando o tombo é inevitável. Estudar regras de pilotagem, como por exemplo priorizar o freio dianteiro em frenagens em pistas pavimentadas também ajuda a deixar os tombos fora de sua rotina. Confiar na tecnologia, escolhendo modelos com CBS e ABS também é fundamental. Lembre-se sempre: quem anda de moto direito, respeitando os limites, anda de moto a vida inteira.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo